Skip to main content

PORNÔ FEMINISTA X PORNÔ MAINSTREAM

Você tem o hábito de consumir pornô? Se sim, que tipo de pornô? Começamos nosso post de hoje com essas duas perguntas mega esclarecedoras e conflitantes no gigante universo machista e sexista em que vivemos. 

A proposta do pornô feminista, ainda muito recente na indústria, tem o objetivo de empoderar mulheres num cenário preponderantemente masculino e dar voz a todos os grandes desejos e fantasias eróticas femininas. Lindo, né? 

Quando iniciamos esse post fizemos duas perguntas: você pensou nas respostas? Muito provavelmente quando leu a palavra ‘pornô’ pensou naquelas cenas clichês da mulher branca, loira, siliconada, com unhas enormes e com o mix de cara inocente/safada com algum problema doméstico, esperando um marido de aluguel chegar e resolver o bicho de sete cabeças: uma pia entupida, um chuveiro queimado, as possibilidades quase sempre são as mesmas. A mulher é incapaz de consertar algo e precisa, óbvio, do machão que resolva. O homem aparece na porta: é branco, alto, musculoso e tem aquela cara de macho alfa prestes a solucionar todos os problemas da casa. 

Num passe de mágica, com meia dúzia de palavras – as vezes nem isso – e muitas caras e bocas, eles resolvem partir direto para o sexo. A mulher usa  roupa sexy muito diferente da que estaria usando caso estivesse realmente enfrentando um problema doméstico. Tudo é detalhadamente planejado para agradar e entreter apenas o público masculino, que em sua maioria gosta da meteção sem fim, curte ver o cara ejacular na cara da moça e deve seguir a vida depois alimentando essa expectativa egocêntrica e absolutamente machista em todos os seus relacionamentos.

O pornô feminista vem para contrariar tudo isso e mostrar que as mulheres também amam sexo, adoram receber sexo oral e se divertem muito sentindo prazer. Outra característica é a direção do filme com ética, responsabilidade moral, psicológica e física, além do respeito com mulheres e homens. Por isso, no lugar de corpos esculturais e belezas nada naturais, o pornô feminista oferece protagonismo às pessoas normais. A mulher não é objeto de prazer, mas protagonista do seu próprio prazer e sexualidade!

Outra característica é um sexo mais real, sem aquelas encenações como a mulher gritando e gemendo o tempo todo sem estar curtindo; mulheres no comando da direção, além de variedade nos roteiros de sexo, com presença marcada dos LGBTI em muitos casos. Na produção de um pornô lésbico, por exemplo, é tudo feito e pensado para mulheres e não para os homens. 

Se você ficou curiosx pra ver bem de pertinho tudo isso que falamos até agora, vale a pena conferir o trabalho dessas mulheres incríveis: Erika Lust, Lucie Blush, Jennifer Lyon Bell, Muriele Scherre, Petra Joy, Marianna Beck e Anna Span. Vale a pena conferir!

O assunto foi novidade pra você ou já tinha ouvido falar sobre o pornô feminista em algum circuito? Compartilhe com suas amigxs e seja (sempre) feliz! Nós, mulheres, merecemos o mundo!

Visite nossa loja e confira nossas novis >>> www.segredoerotico.com.br   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *